quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Menor de idade naturista.


   No nosso país tem a lei de proteção infantil, da qual menores de 18 anos não podem frequentar locais naturistas sem o acompanhamento de um responsável, e isso já está acarretando algumas discussões, pois com a expansão da nossa filosofia, tem crescido o número de adolescentes curiosos e interessados nessa prática, porém sendo limitados pelos pais, que ainda desconhecem e não entendem o naturismo.
   Infelizmente vejo isso como um atraso em nosso Brasil, visto que com 16 anos já pode votar, que é uma decisão muito importante, porém ser responsável por seus atos não pode, mais uma hipocrisia. Antigamente a fase infantil ia muito além da cronológica, pois a inocência fazia parte desse ciclo, mas hoje, as crianças estão se tornando adolescentes com 10 anos, já despertando pra sexualidade que tanto é escondida em suas casas, as menininhas já querem usar roupinhas coladas e maquiagem e os meninos nada de chegar na escola com os pais, muito menos um abraço no mesmo em público. Isso porque por mais que os pais escondam essa realidade das crianças, elas descobrem na internet, e digo, de forma muito errada. O contrário de uma criança naturista, que já cresce conhecendo os órgãos genitais do ser humano, tornando seu amadurecimento nessa área coerente com a sua idade e a sexualidade aflora no tempo certo, não por pressão ou curiosidade.
   No naturismo não tem o que ser escondido, tornando a inocência da criança mais longa e o autoconhecimento do próprio corpo algo natural, entendendo as diferenças de tamanho e de cor, crescem sabendo que todos somos diferentes, porém ninguém é melhor que ninguém, assim eles aprendem a respeitar o próximo sem ser algo forçado. Lá não há distinção de cor, sexo, peso, sexualidade, vivemos num ambiente totalmente miscigenado e com isso o amadurecimento da criança se torna mais fácil, sem crises ou dúvidas. 
   Hoje no país está em foco a artista Pabllo Vittar, onde num contesto as crianças normalmente não entendem o que ela é, porém, minha filha, naturista desde que nasceu, respondeu assim pra um primo que a fez essa pergunta: ah... é Pabllo, ela é cantora, aí ele tornou a perguntar: mas é homem ou mulher? ela respondeu: é homem que gosta de ser mulher, oras!!
   Bem desse jeito, despojada e meio sem paciência com essas perguntas, porque pra ela isso é tão óbvio, que o questionamento se tornou ridículo rsrs..., isso porque ela está crescendo num ambiente onde o preconceito simplesmente não existe, o hetero, homo, bi, trans, etc., não são rotulados como tais, são apenas amigos e ponto. 
   Talvez quando nosso país evoluir mentalmente um pouquinho que seja, possa passar para as novas gerações esse modo simples de viver que nós naturistas já passamos para nossos filhos, onde o respeito pelo próximo seja verdadeiro, o preconceito, seja apenas um conceito no google e a harmonia entre as tribos seja algo natural.

"Vem por nosso mundo você também."

3 comentários:

  1. Lindo texto Nanda, você consegue explicar tudo de forma simples e fácil de entender. Muito legal!

    ResponderExcluir
  2. Ótimas colocações.Os índios mais isolados sem todas essas leis,preconceitos e conotações distorcidas vivem nus em harmonia entre si e com a natureza.Quanto mais interferência no comportamento pelo estado,mais conflitos e divergências.

    ResponderExcluir

Naturismo em Rio Grande do Norte.

Nasce mais um grupo naturista, NU-RN (Naturistas Unidos do Rio Grande do Norte), onde já estão pensando em criar a primeira praia naturista...